quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Dietisses


Não tenho grandes recordações de ser magra, sei que o fui até aos meus sete/oito anos e a partir daí foi quase sempre a acrescer. Eram bolicãos, pães de leite mistos, cereais com leite em vez de leite com cereais...

A primeira dieta surgiu quando tinha 12 anos, as crianças geralmente têm um metabolismo rápido e a maior parte do bacon foi ao sitio. Passei de obesa para rechonchuda e o facto de ter dado o pulo também na mesma altura ajudou muito.

Nem foi assim tão rápido, mas voltei à obesidade algures entre os 16 e 18 anos. Fiz uma dieta não guiada, mas também sem grandes maluquices. Evitei os típicos doces e gorduras e comia muita sopa e salada. Perdi 16 quilos num ano, tinha um peso considerado normal mas sentia-me gorda na mesma.

Aos 19 entrei na universidade e no meio das festanças e comida da cantinha engordei 11 quilos em três anos. Deixei-me descontrolar e parte de mim estava em negação de tal modo que não fez alterações enquanto podia.

No ano passado comecei a frequentar um CET e feita parva, deixei de me importar e comecei a comer croassains mistos e leitinhos ucal com as minhas colegas praticamente quase todos os dias ao lanche. Foi o suficiente para engordar 4/5 quilos e encontrar-me no nível 1 de obesidade novamente.

Depois de ter visto que tinha recuperado o peso todo estava louquinha à procura de uma dieta e uma colega mostrou-me a dieta dos 31 dias. Na teoria a dieta resultou, perdi 7/8 quilos e por ai me mantive. O único problema é que continuando em dieta o meu corpo recusou-se a abandonar mais uma grama que fosse. Sem falar nos danos psicológicos que esta dieta me causou. Porque eu não tenho uma relação saudável com a comida e não sei quando conseguirei ter.



Desde Setembro que vou ao ginásio em média 5 dias por semana, tento-me mentalizar que o peso não interessa para nada, mas quando o digo estou a ser hipócrita. Porque por mais que me diga que o que importa é os níveis de massa magra e massa gorda, continuo presa ao imc e às teorias do peso ideal.

(continua...)


7 comentários:

  1. Ginásio 5 vezes por semana é muito bom!
    Quanto mais massa magra menor a chance dos famosos "efeito sanfona" e "reganho de peso". Tento me conscientizar disso, mas não me sinto à vontade nos ginásios.
    Tenho feito atividade física em casa por enquanto.
    Obrigada pela visita!

    ResponderEliminar
  2. Olha, nem sei o que dizer. Eu axo que tu és uma pessoa maravilhosa pelo que leio os teus posts. Nunca te vi mas eu axo que és linda. Infelizmente a sociedade de hoje diz que um corpo lindo e bonito tem que ser magro. Axo que ainda não entendem as consequências dos seus atos, e é por isso maior das raparigas não se sentem bonitas. Tens aceitar o corpo que tens porque se tu não aceitares, tu vais continuar nessa tristeza. E isso não te faz bem.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. O mundo inteiro martelou tanto em nossas cabeças desde que somos meninas o quanto é lindo e importante ser magra para ser feliz, ser aceita, ser bem sucedida, que mesmo adultas ainda ficamos presas a essas ideias pré concebidas e absurdas. O que tenho percebido é que o mais importante é fazer o que te faz bem. Se vc sente a necessidade de pesar menos, se esforce para isso, mas não fique louca. Tente se aceitar todos os dias, um pouquinho por dia. Pq vc é linda como é, digam o que disserem!
    E não canso de me deixar encantar quando visito blogs de meninas de Portugal! =)

    ResponderEliminar
  4. Menina também sou assim quero sempre ver só o resultado da balança...

    ResponderEliminar
  5. Como eu te entendo... Também engordei bastante nos últimos tempos e por mais que eu tente a gordura não sai... Só te posso desejar boa sorte.

    Bjxxx

    ResponderEliminar
  6. Percebo perfeitamente mas convém estares bem contigo mesmo querendo mudar.

    ResponderEliminar
  7. Eu sou dessa forma, se não tem resultados com perda de roupas, números e tal, já bate uma tristeza ://

    ResponderEliminar

Obrigado pela tua opinião!