sexta-feira, 19 de julho de 2013

19 de Julho de 2013



Num momento, estávamos a beijar-nos, beijo puxa beijo e depois olhei nos teus olhos, disse que te amava, tu olhas-te me de volta e disseste que gostavas muito de mim, mas que não poderias dizer-me o mesmo... então decidi partir para um confronto e perguntei-te como era possível um sentimento desaparecer de um dia para o outro e foi assim que desapareces-te do meu sonho e deixaste-me sem resposta.

Eu teimo em pensar que está tudo bem comigo, mas o meu subconsciente não têm tantas certezas... têm assuntos pendentes por resolver...

19 comentários:

  1. Força querida :/
    De certeza que teve o mesmo problema que eu xD
    Felizmente o meu já voltou à normalidade, deve ter sido algo da operadora...

    ResponderEliminar
  2. força nisso! primeiro tens de estar em paz, contigo *

    ResponderEliminar
  3. Se há coisa de que me posso orgulhar, é de resolver bem os assuntos. Não é nada fácil, é preciso engolir o orgulho e ter coragem. Mas vale a pena, pois no final ficas bem com a situação. Não há aqueles stresses de veres aquele rosto anos depois e ficares sem jeito. Ele pode ficar meio atrapalhado, mas tu estás bem, a viver uma nova realidade.
    Por isso força, mesmo.
    Vale a pena esclarecer tudo connosco e com o outro.

    ResponderEliminar
  4. Assuntos mal resolvidos são do pior que pode existir. Força com isso.

    ResponderEliminar
  5. Ohh, espero que as coisas melhorem :S Força! *

    ResponderEliminar
  6. Odeio ver-te assim :(
    És mais forte do que aquilo que pensas, linda :)

    Estou aqui para ti <3

    ResponderEliminar
  7. não deixes que a tristeza ganhe,por mt que custe. força miúda

    ResponderEliminar
  8. o subconsciente trama-nos muitas vezes

    ResponderEliminar
  9. se calhar deviam encontrar-se e falar uma última vez da vossa relação e do que aconteceu, para esclareceres tudo timtim por timtim, às vezes é necessário e se calhar vais-te sentir muito melhor depois dessa conversa :)

    ResponderEliminar
  10. Ganha coragem para perguntares frente a frente e poderes dar descanso ao teu subconsciente :)

    ResponderEliminar
  11. Isso há de passar, querida! Força! :s
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  12. Eu fiquei com eles por resolver até hj. Portanto, o que isso quer é seguir em frente e esquecer essas questões. Eu às vezes consigo, outras vezes nem por isso. Mas sinto que estou melhor. Força!

    ResponderEliminar
  13. O tempo tudo cura ;) E gostei do último post...andar triste só atrai mais tristeza...tens é que andar com a tua vida para a frente!!

    ResponderEliminar
  14. Muita força, o que estiver destinado para ti, para ti está. Bjs e força.

    ResponderEliminar
  15. Escrevi a 17 de fevereiro pela terceira (e até hoje última) vez neste blogue:

    "A primeira coisa que o post me desperta é a pressa da inflexão: "quando estás solteiro/a".

    Que eu saiba a malta por aqui abaixo falou toda a partir da posição de namorado/a, cada um na sua casinha, encontros e mais encontros, com ou sem famelga, sexo quando calha. Portanto não estão casados, estão solteiros. Estão sim, aos olhos dos que conhecem e reconhecem a relação, comprometidos com essa pessoa e numa relação vulgo monogâmica.

    Ou seja, o grupo de relação mais próxima identifica que há uma determinada constante na continuação de A estar com B um certo nro de vezes por semana ou quando o outro fica de férias.

    Ora este post é em si mesmo, na própria pergunta, auto-desmistificador da ideia de amor romântico. A ideia de que há uma pessoa "especial" para nós cai por terra quando afinal se coloca a questão como algo em série e a ser preenchida. Ora tudo o que é em série não pode ser especial, pelo menos do ponto de vista da honestidade afectiva.


    Se uma pessoa tem um relacionamento tão especial com alguém que se dispõe a estar apenas com essa pessoa seria de pensar que esse relacionamento surgiria com pessoas especiais, e pessoas especiais não aparecem por coincidência quando deixamos de estar com alguém, não há um cesto de pessoas especiais à espera que acabemos uma relação para começar outra, acho que nisso todos podemos concordar.

    Portanto, exposta que está a falácia do amor romântico, trata-se apenas de um jogo de auto-ilusão para consumo interno (temos alguém, e se temos temos de justificar essa preferência, dizendo que essa pessoa é especial, quando muitas vezes é totalmente desimportante tirando ser a "nossa" pessoa) e para consumo extermo (termos alguém mostra ao mundo que fizemos uma procura e que encontrámos ou que alguém nos encontrou, mostrando falsamente o quão somos especiais, mesmo que nem consigamos resolver um Cubo de Rubik)."

    Claro que nada adiantou, mesmo sem base a Autora continuou a fantasiar que tinha a relação perfeita com a pessoa perfeita sem se esforçar para melhorar e aprofundar a relação, limitando-se a ir postando críticas de cinema umas atrás das outras. Por um lado estou triste com o que te aconteceu, por outro lado estou triste porque a "surpresa" que demonstraste parece mostrar que não tens a sensibilidade para ainda compreender o que se passa na cabeça de um teu companheiro.

    Mas toca a lamber as feridas e voltar para o cavalo (para outro cavalo, neste caso ;) ).

    ResponderEliminar
  16. As vezes também tenho sonhos que me deixam a pensar proque razão o meu sub-consciente foi buscar aquilo. Hoje foi um desses dias.

    ResponderEliminar

Obrigado pela tua opinião!