pessoas online

domingo, 10 de fevereiro de 2013

The Art of Getting By (2011)


George, a personagem principal, acredita que nascemos sozinhos, morremos sozinhos e tudo o resto é uma ilusão, as amizades, os amores e tudo o resto na vida. Por isso não encontra motivo para viver, para ir à escola, não percebe que lógica existe em fazer trabalhos da escola, porque afinal de contas tudo na vida é efémero. Até aqui tudo bem, fiquei a encarar um puto estúpido com pensamentos ainda mais estúpidos  mas ainda me deu alguma vontade de rir... mas depois surge a Sally, uma rapariga que a meus olhos ainda mais estúpida é e como estúpida também não faz das melhores decisões ao longo do filme. Não conto mais nada senão torno-me spoiler, mas tenho a dizer Asemnome, que infelizmente não gostei tanto do filme como tu gostaste, fiquei sempre à espera que acontecesse algo excitante e o facto é que nada de interessante ocorreu...

IMDb: 6,4
D.Pereira: 5,4

18 comentários:

  1. essa forma de ele encarar a vida até é interessante, mas acredito que seja muito desmotivante também

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. wtf?! -.- fui ao BdN reler a minha review do filme e reparei agora que misturei o enredo dos dois últimos filmes que vi, porque eles têm uma história do género e são os dois com a Emma Roberts -.- Ando mesmo mal da cabecinha! Enfim... Estava a misturar o The Art of Getting By com o It's Kind of a Funny Story! Stupid Rita being stupid...

    ResponderEliminar
  4. Seriously, apaga o primeiro comentário! x'D Misturei totalmente os dois filmes! Omg...
    Pronto, eu gostei do filme porque já me senti como o George muitas vezes. Nunca pensaste agora na universidade que, basicamente, todo o trabalho para obteres boas notas da secundária para trás foi em vão? Não digo a aprendizagem porque isso é sempre importante, mas toda aquela ansiedade de tirar boas notas ou de fazer os trabalhos todos... Às vezes dou por mim a pensar que me centro mais em coisinhas que no momento são as supostas importantes de se viver! Nunca pensaste que no fundo és só mais uma de milhões de pessoas que passado um tempo deixam de existir e todos os esforços que fizeram para se manterem vivas significaram o quê quando se desperdiçou esse tempo que se podia ter aproveitado com algo mesmo grande?
    Idk xD gostei do filme... Fez-me pensar.

    ResponderEliminar
  5. bem me pareceu que estavas a confundir alguma coisa... esse do it's kinda of a funny story gostei muito... ou melhor... adorei xD

    ResponderEliminar
  6. A questão é que ele não aproveitava a vida, ficava ali a vegetar... ia ver filmes (ok...) mas isso não é nada muito importante....eu não sinto que estou a desperdiçar tempo na universidade, nem tempo a fazer trabalhos, no fundo sinto concretizada por saber que consigo faze-lo... eu prefiro morrer sabendo que aproveitei os meus dias, que me esforcei do que morrer com um sentimento em vão xD mas pronto... somos todos diferentes... a minha visão daquele rapaz é que é um adolescente meio preguiçoso... a sociedade requer que façamos algo pelo nosso futuro e acho que lutar por um futuro melhor, dá um certo sentido à vida... uma certa esperança.

    ResponderEliminar
  7. Não conhecia o filme, mas também não parece ser muito o meu género. Kiss Kiss :D

    ResponderEliminar
  8. Sim, compreendo o teu ponto de vista, mas quantos de nós estudantes não tivemos vontade nenhuma de fazer esses trabalhos que provavelmente nem serviam para nada? Às vezes olho para os meus anos antes do secundário e sinceramente não aproveitei metade da vida por viver o que supostamente era importante... Não digo que estudar não seja importante porque toda a aprendizagem é necessária para sobrevivermos um dia, mas lá está é uma questão de sobrevivência, no final somos só mais um dos milhões que passaram mas ninguém reparou. Acho que era isso que ele queria dizer... que muitos de nós vivem agarrados ao estereótipo, à rotina, mas são poucos os que encontram na vida aquele sentido de viver, de dar tudo o que temos.
    Idk, gostei do filme, de como por vezes precisamos de uma situação extrema na vida para encontrarmos a razão do dom inato que todos temos para dar valor à vida!

    ResponderEliminar
  9. eu também gostei muito mais do it's kind of a funny story, apesar das pontuações que dei aos dois serem parecidas. Acho que no fundo a mensagem dos dois filmes vai ao mesmo encontro! :)

    ResponderEliminar
  10. Acabei de me repetir, não acabei? omg... é o que eu digo, não ando bem da cabeça... afastei-me uns dias do BdN mas devia ter-me afastado da blogosfera completa! xD

    ResponderEliminar
  11. não conheço o filme, mas já vi que não tem assim um ponto alto, no entanto, espero poder vir a vê-lo futuramente :b

    ResponderEliminar

Obrigado pela tua opinião!