quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Estou podre

Então estava a dirigir-me ao edifício da minha universidade quando a alça da minha mala foi à vida, chateai-me  mas não exageradamente e fui na mesma fazer o que tinha que fazer que era renovar a requisição da câmara de filmar e do tripé, outras duas coisas com que estava carregada. Entretanto apareceram duas colegas minhas que moram na minha zona, mas elas vieram de carro e pedi-lhes boleia como é lógico. Depois de um longo tempo na estrada, já estávamos quase a chegar no coitadinho do carro da I. quando notei que não tinha a minha mala entrei logo em pânico até porque tinha lá carteira com documentos e dinheiro, o passe dos transportes que tinha carregado no inicio da semana, o meu disco externo, o meu telemóvel, as minhas chaves de casa, enfim um monte de coisas importantes. Chateei a A. para me levar de volta à universidade porque mesmo se quisesse voltar por transportes não tinha dinheiro,  nem passe. Quando cheguei à escola felizmente a minha mala estava intacta que a senhora do bar reparou e guardou. 

Depois disto tudo cheguei 10 minutos antes do autocarro para ir ter com o Cláudio fazer as gravações, pousei as coisas e nem almocei, fui, apanhei o autocarro, fiz as gravações, correram bem e agora estou aqui... exausta... mas ainda não me vou deitar porque tenho que ir à cidade aqui do lado tirar umas fotos nocturnas para o meu portefólio que tal como o vídeo é para entregar nesta segunda-feira.

6 comentários:

  1. well, trabalha. mente vazia, armadilha do diabo...hehehe e vais ver que a recompensa é grd :)

    xoxo***

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que não ficaste sem a mala!!! Eu se fosse a ti ía mas é dormir, descansar... bjinhos ;)

    ResponderEliminar
  3. Estou podre! Que expressão horrível para definir o cansaço físico. Estou exausta seria mais agradável, não acha?
    D. Pereira. Há uns anos atrás um amigo meu que usava essa expressão amiúde e creio até por luxo, adoeceu e acabou morrendo todo podre mesmo. Não estou a dizer-lhe isto porque acredite que o uso dessa expressão tenha algo a ver com isso, mas sim que como dizia o outro: Eu não acredito em bruxas, mas que as há...
    Antes de escrever este comentário tive o cuidado de ver o seu perfil. E acredite que pensei duas vezes antes de começar a teclar. Depois pensei cá para comigo que a D. Pereira não ia bater e como estava longe de mim...
    E pronto já disse tudo.
    Mas como é uma jovem inteligente decerto que me vai dar razão.
    Se pensar em ralhar comigo eu deixo em baixo um atalho para chegar mais rápido junto de mim.

    http://castperagestosa.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  4. Adorei a resposta. Foi mais um teste ao perfil do que um sermão.
    Obrigada pela visita.
    Uma boa noite de descanso.

    http://castperagestosa.blogspot.com/

    ResponderEliminar

Obrigado pela tua opinião!