sexta-feira, 31 de outubro de 2008

1 de Novembro de 2008

Tudo que sei, é tudo que não é como comprado ,mas quanto mais eu cresço menos eu sei e eu tenho vivido tantas vidas, embora não sendo velha, quanto mais eu vejo menos eu cresço. Mais um dia, sinto um certo vazio dentro de mim, de certo modo não me sinto deprimida, mas talvez, porque se tornou uma questão de habito, todos os anos as coisas mudam, as coisas ficam para trás, por vezes já nem me apercebo, se eu e que deixo as pessoas ou elas e que me deixam a mim, as pessoas andam demasiado ocupadas para desperdiçarem do seu tempo para me darem atenção, e quanto mais penso isso, mais egoísta me sinto. No ano passado, estavas la, sempre olhei para ti, como uma espécie de modelo a seguir, e devo revelar, que tinha uma grande paixoneta de rapariga por ti, olhava para ti, sempre com grande admiração, de todas as maneiras, de como te achava espantosa, esperta, inteligente, da maneira como lidavas com as coisas, eu sempre achei fascinante, e como todas as pessoas que mais me aproximo, comecei a depender muito de ti, não te vai pela cabeça de como tudo o que me dizias era importante para mim, o quanto me perturbava quando estavas em baixo, e o que mais me angustiava, era sentir que não te podia ajudar, eu nunca soube lidar com os meus problemas, era me dificil lidar com os teus, mas espantosamente, tu sempre soubeste lidar com os meus, muitas das vezes eram só palavras e criticas, é poucas as vezes que me lembro ter te ajudado realmente, e se achas que alguma vez o fiz, fico alegre, porque não tenho bem a noção das coisas, os efeitos que as palavras tem. Contigo aprendi muita coisa, contigo tornei me mais culta, e agora? Agora sinto que me abandonas-te, que sais-te da minha vida. Sinto que me tornei uma perfeita desconhecida para ti, sou a rapariga que quando vez, citas "boo", e continuas na tua rota, e as coisas tornam se assim, as pessoas vão, as pessoas, por vezes não voltam. E agora, acabei de formar um post, egoísta, egocêntrico, mas especialmente egoísta.


Hoje foi dia de Halloween, não fiz nada.


Faltam 21 dias

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

29 de Outubro de 2008

Hoje tive dificuldade a levantar-me da cama, ao contrario do vendaval de ontem, hoje não estava tão frio, mas sentia a cama e todos os lençóis e mantas a puxarem-me para a cama, e em dias assim, desmotiva-me ir para a escola, porque a cama está tão quente, e lá fora começa a fazer frio. Logo as sete da manha, vesti a minha gabardina, para me habituar a temperatura ambiente, quando fui mesmo me vestir, as roupas já não eram tão pesadas, vesti as calças pretas, uma camisola de manga comprida com elefantes, e o meu casaco semi-roxo, semi-azul, de xadrez por cima, e não passei tanto frio, já a Débora, minha amiga de infancia, a caminho da paragem se queixava do frio, achei um pouco estranho porque ela estáva muito melhor agazalhada do que eu, mas deve ser um facto relacionado à gordura corporal, ela é muito mais magra do que eu. Apaguei o autocarro, hoje não se atrasou tanto como o habitual, sentei-me e como habitual fui o caminho todo a ouvir musica, e a olhar com cara de raiva para uma rapariga que tem um estilo parecido ao meu, logo roupas iguais, enfim tinha aquelas calças vermelhas de xadrez que no ano passado depois de as ter comprado, apareceu uma catrefada de pessoas, a perguntar onde comprei, e a aparecerem com calças iguais, enfim, não existem tantas lojas, e normal, se as roupas são bonitas, as pessoas compram. Primeira aula, Portugues, eu não sei lidar com a morte, mesmo depois de ter estado envolvida em tantas, de certo modo sinto muita pena da minha professora de Portugues, mas começo a gostar mais dela, do que gostava no inicio do ano, fizemos Avaliação da Expressão escrita, o tema que seleccionei foi uma pagina do diario de um jovem do seculo XXII, visto que todos os outros temas eram ainda menos interessantes que este, estive a escrever uma ou outra barbaridade sem critiavidade, porque esse tipo de tema, limitanos muito a criatividade, e eu a pensar que a professora irianos colocar a fazer memorias, enfim pensei errado, é uma pena, porque de certa forma estava com vontade de escrever, acaba o Luís, acabo eu. Olhei para ele, abracei-o, e disse "Luis eu gosto muito de ti", e ele diz-me "sim Daniela eu tambem gosto muito de ti mas tenho sono", hmm que motivação que fiquei, enfim é o que da chatear as pessoas as oito e tal da manhã, de certo facto ele e como se fosse o meu novo "melhor amigo", mesmo tendo o meu real melhor amigo a morar no Porto neste momento, mas pronto, como é a pessoa com quem neste momento tenho maior ligação.
Depois de uma Leitura Expressiva Para a Avaliação fomos para a aula de Area de Intregação, hoje era o exame, muitas das coisas de facto nao me recordava, a minha memoria já nao e tão vaga, mas consegui fazer tudo, menos uma pergunta que valia apenas 1 valor, de certo que não devo ter tudo correctissimo, por isso não vou estar a pensar num 19. Os meus colegas, parecem crianças, é normal que se queiram divertir, mas existem limites, eu estou pela 2º vez no 10º ano e não estou habituada a este tipo de coisas, mas que dizer? Por uns pagam os outros. Chegou o intervalo, seguidos de Abraços continous ao Gonçalo o meu mascarado, pudemos dizer que tambem Abracei a Pim varias vezes. Chega Design, toda a gente ansiosa pelos resultados dos exames, mas a professora fez nos escrever a aula toda, e so nos deu no final da aula, tive 16 valores, nada mau, penso que foi a melhor nota do meu turno, engraçado mais uma vez tive a mesma nota que o luis, mas de facto ele faz parte do outro turno, por isso copiar não foi mesmo, devemos ter questoes telepaticas. Saimos um pouco mais cedo, mas estava quase a chegar á paragem e apareceu o autocarro, fui ao pingo doce fazer tempo, comprar um chocolate de 36 centimos, voltei ainda tive um pouco a espera, mas o autocarro acabou por passar, engraçado que des que mudei de paragem, todas as mulherzinhas que lá passam manteem uma conversa comigo, devo ter aspecto de pessoa simpatica, ou então não, devem ser como eu, sentirem se tão sozinhas que tem de falar, a minha mãe nao suporta quando estou assim, porque ela é que tem de me aturar, almocei com a minha mae, e dormi a tarde toda! Acabei o Trabalho de Fisica, e ponto final, dia acabou.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

27 de Outubro de 2008


Continua a caminhar, não te acanhes, vá lá, um passo a seguir ao outro, e tudo o que ficou para trás, ficará, não tenhas medo, estás a caminhar pelo caminho certo, deixa as tuas lágrimas, o teu rosto molhado, deixa o teu sangue, a tua angustia, a tua amargura, o teu sofrimento, vamos caminhar, vamos, e em breve, eu sei que encontraras o teu destino. Chega cá, dá-me a tua mão, juntos iramos caminhar, caminhar pelo caminho de escuridão. A presença que permanecia caminhando comigo, era só eu e apenas eu, apenas eu caminho comigo, apenas eu me posso ajudar. Tudo acabou, tudo está para trás, estou farta de certa burrice, quem me dera ser burra, nunca mais. Por isso acabou, a dependência já se foi, e ficará no seu lugar. Lamento, mas vou caminhar à procura da minha felicidade.





Hoje tive 2 exames, dos quais os dois correram relativamente mal.
Sinto-me fraca, ainda não percebi porque, a minha cabeça está pesada, e os meus olhos tendem se a serrar, sinto me a desfalecer. Esta semana, mais testes, dentro da disciplina de A.i e Português. Tenho que arranjar um hobie, pode ser que encontre alguém com dvds de clássicos da Disney, tenho que arranjar algo para fazer visto que agora passo os meus dias em casa. Estou meio stressada, nervosa, algo nao sei, acho que ainda me vai dar uma coisa má hoje, agora aptece-me tomar banho, provavelmente daqui nada será isso que irei fazer. Tenho de ver se vou fazer os questionarios de Matematica, não convinha o Luis ficar com o trabalho todo, alem de que os amigos dele, sao os meus amigos, de certo modo é chato, porque depois ainda fico mal vista por nao ter feito nada, porque ele fez questionarios a toda a gente que eu conheço, muahaha.

domingo, 26 de outubro de 2008

26 de Outubro de 2008



Enfim, a minha mãe já me comprou uma mala para a escola, neste caso 2, porque comprou uma revista que vinha com uma mala roxa, uns ténis, bem que já estava a precisar e dois soutien, que estou com falta deles visto que aumentei um numero assim de repente. Mais um fim de semana sem nada interessante. Amanha tenho apenas uma aula de manha, e vou estar apenas só com metade do turno, enfim. E tenho dois testes para maravilha minha, das duas únicas aulas que tenho há tarde.
Estou deprimida, deve ser do período.

sábado, 25 de outubro de 2008

25 de Outubro de 2008

Os meus dias, não podiam ser mais aborrecidos do que os de antigamente, não tenho ninguém para sair, não tenho ninguém para sair que goste de mim. Sinto me tão sozinha, e sem nada para fazer, está a dar a porcaria do Hulk na televisão, weew.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

24 de Outubro de 2008

Hoje acordei com pouca vontade de me levantar.
Cai das escadas logo de manha, magoei-me.
Tive uma discussão de meia hora com a professora de multimédia,
parece que para ela só importa as opiniões dos outros e menospreza as dos outros enfim.
Parece que vou ter uma aula de recompensação.
Tive o meu primeiro exame, correu-me razoavelmente, só saberei o resultado mais tarde, e a professora esteve a avaliar os cadernos, tive um Bom. Achei injusto por alguém que não tinha tudo ter tido um Bom também, pelo menos tinha de dado um Bom+, enfim.
Fui a casa, fiz o meu almoço, deitei me no sofá, despertador tocou para a aula de Física (de físico-química), levantei me do sofá, fui me deitar na cama, mãe, não vou há aula, ficou de trombas, mas fiquei em casa, acordei as 18:11. Fui fazer o jantar, cortei o dedo. Agora estou entediada em casa. Quero sair, mas nunca tenho gente para tal. Dia interessante. Post interessante, transpira interesse. Sure.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

23 de Outubro de 2008

No inicio da queda da corda bamba, a equilibrista perde o equilíbrio. Atravessando a corda bamba, caio no vazio, perdendo todo o meu equilibrio, equilibrio de tudo, e é ai, que caio dentro de uma pequena caixa, que acaba por ser encerrada. Estou presa dentro de mim mesma.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

20 de Outubro de 2008

E tudo se torna natural, o cheiro a terra devido ás gotas de chuva, grandes gotas de chuva que penetram o solo, e o que era terra, torna-se lama. A tua voz, tornará-se rígida, como toda a tua postura perante mim, o chão voltara ao normal, mas tu, tu não, ocorre sempre uma troca de olhares, mas logo rápido se deviam, e caminhando, cada um vai pelo seu caminho. Lá se vão os tempos enamorados, os tempos de sol, mesmo não estando completa, permanecia-mos os dois, no mesmo caminho, caminhando com as nossas diferenças, com as nossas opiniões fortes, o nosso problema nunca foi sermos diferentes de mais, talvez o problema sempre tivera sido o oposto, sermos tão parecidos ao ponto de não conseguirmos admitir. E assim tudo se manteve, os dias passavam, e menos ligação ocorria entre nos, acordos e discussões, realidades e ilusões. O facto e que tudo o que parecia real, deixara de parecer, e todas as tuas promessas deixaram de parecer realidade, comecei a deixar de acreditar nelas, mas sempre com esperança, aguardando que uma palavra, um gesto, um acto mudasse tudo isso. Tudo começa se a perder pouco e pouco, pouco e pouco tudo começa a acontecer, e ai começa a fazer sentido, todos os meus pressentimentos, será realidade que estamos-nos a afastar? Os sentimentos podem parecer muito bonitos, mas parece que com o tempo começa a perder valor, começo a sentir um começo de desinteresse perante mim, sinto me menos atraente e mais insegura de mim mesma, nem a sorrir consigo parecer bela aos meus olhos, olhando me para o espelho, pensar pela milésima vez o que há de errado em mim, tenho noção que isto nunca foi uma questão de aspecto, sempre foi uma questão de personalidade, e tu tens razão, já não sou tão divertida, de facto tornei me aborrecida, lamento e peço desculpa, por não me conseguir manter como querias, mas de facto percorre uma grande infelicidade dentro de mim, tornando dificil esboçar um sorriso, eu sempre vivi de sorrisos amarelos, e tu nunca te apercebes-te disso, tomei-te como garantido, e tu tornas-te me como garantida, e ai foi o erro, as vezes penso que não tens tanto medo de me perder, como eu tenho medo de te perder a ti, as pessoas têm razão, tu tens razão, como quero amar alguém, sem gostar de mim própria primeiro? Sem pensar em mim própria primeiro? Penso que esta vontade de amar se apoderou de mim, e é dificil de sair desta armadilha, porque e tão dificil, porque eu nunca o fiz, porque nunca o consegui. O facto, e que as coisas sem ti do meu lado, não parecem tão divertidas, erro meu por te colocar em primeiro lugar. É verdade, sou uma besta. Com tantos amigos maravilhosos que tenho, so me preocupo com o amor.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

16 de Outubro de 2006


Sempre quis, acordar todos os dias, e olhar para o lado, e estar lá uma pessoa, a tal pessoa, dar-lhe um beijo de bom dia, seguido de um abraçado, e irmos tomar o pequeno almoço juntos. Sempre quis ter alguém, para quem pudesse olhar fixamente nos olhos e seguidamente roubar-lhe um beijo, e no fim, olhar de novo para o seu rosto, sorrindo, com um ar de alegria, e abraça-lhe com uma enorme força, força que vinha dentro de mim, alguém que acariciasse o meu rosto com a mão, e me dissesse ao ouvido que me amava. Eu sou apenas alguém de quem ninguém amou, alguém que ninguém aguenta demasiado tempo do meu lado, alguém que nunca e compreendida pela sua vontade de amar, e a sua possessão. Eu sou sempre a que vem depois das outras, o que não resultou com elas, também não resulta comigo, eu sou aquela que vem sempre a seguir a namoros traumáticos e fica na prateleira, a espera que a tal pessoa esteja preparada. Eu sou aquela com quem nunca chegas a namorar, mas iras sempre faze-lo com a rapariga que chegara a seguir, porque eu, eu sou vista como forte, como alguem que aguenta isto tudo, mas não, eu sou uma fraca, cheia de sentimentos e emoções, uma fraca, tão desmotivada, que pensa que está sempre propria para morrer, porque não aguenta com a pressão do mundo todo em cima de mim. E assim sou eu, eu e os outros, nunca somos iguais, os outros ficam juntos, eu fico sempre sozinha, os outros discutem por atenção a mais eu discuto por atenção a menos. Eu estou farta. Perdi motivação para o amor, os meus amigos já não me conhecem alegrar e nem a escola me motiva, eu Daniela Isabel Oliveira Pereira, vou desistir para a vida. Enfim dramas.


O "LUIS" chamou me de Rita.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

15 de Outubro de 2008


Uma menina bonita, não mostra emoções, uma menina bonita, terá sempre um sorriso no rosto, porque é isso que as meninas bonitas fazem, mantêem se firmes há frente de toda a gente, sempre com o sorriso esboçado, e todos os maus sentimentos apenas ficam quando não está ninguém em redor, todos os cortes, todas as lágrimas, todas as angustias e frustrações ficam em casa. As meninas bonitas são sempre perfeitas, não expressam o que sentem, e tudo o que achas que é correcto, todas as tuas atitudes, se tornam perfeitas para ela, porque as meninas bonitas, não podem demonstrar opiniões, apenas concordar com elas, porque e isso que faz delas umas lindas meninas. E eu, eu não sou uma menina bonita, eu, tenho opiniões fortes, eu quero mudar o que acho que está errado, eu quero dar as minhas opiniões, e para ti, tudo o que digo, está errado, mas tu, como és um homem, como todos os homens, a tua opinião, é a única que conta, e eu, tenho de mostrar a faceta da menina bonita, seguindo sempre o que não me agrada, porque para ti está certo. Eu não estou contigo, porque e isso que queres, eu não me expresso, porque e isso que queres, eu já não choro, porque e isso que queres, e a pouco a pouco, limitei me a tornar numa menina bonita, mas apenas não e isso que eu sou, eu sou um ser emotivo, com fortes opiniões, e maneiras de ver diferentes de todas as tuas, e eu, pensei que fosse isso que gostavas em mim, da minha forte personalidade, mas tu gostas, e do ser que crias-te em mim. Pelos vistos, tu nunca puderas ser o meu Tristão e eu nunca poderei ser a tua Isolda .

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

08 de Outubro de 2008



Sentada nas escadas do pátio, uma senhora com ar simpático de cabelo grisalho, que costumava estar sentada do meu lado, pedia-me para por a linha na agulha, a idade não perdoava, e a vista da senhora já era demasiado fraca. Todos os dias, sentada nas escadas do pátio, eu punha a linha na agulha, para a senhora cozer. E todos esses dias, observava como ela conseguia reparar tudo com apenas uma linha e agulha. Sentada nas escadas do pátio, as tardes passavam rápido, levava sempre o meu caderno a fazer os meus deveres, enquanto mostrava a senhora as letras, porque quando eu me sentava nas escadas do pátio, tinha apenas seis anos, e uma vontade enorme de aprender, e pouco a pouco ia ensinado, as vogais e as consoantes a pobre senhora que nunca teve oportunidade de aprender. Com todas as rugas que percorriam o seu rosto, esboçava-se sempre um sorriso de esperança na cara da senhora, e no meu um sorriso de uma criança feliz. Fizesse sol, fizesse chuva, a senhora que se sentava no pátio, estava sempre la, com roupas escuras, um lenço na cabeça cobrindo os seus longos cabelos cor de cinza, e eu estava sempre do seu lado. O Outono passou para Inverno, e a senhora já não estava lá mais sentada, apenas eu e as minhas lágrimas se encontravam presentes nas escadas do pátio.

(memorias do meu passado)

Hoje tenho muito para desabafar, mas simplesmente não me apetece. Estou farta.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

07 de Outubro de 2008


Pensamento do dia: Tenho que fazer posts mais pequenos, para estarem mais acessíveis para as pessoas, (sim porque as pessoas vem coisas grandes e fogem), mas se calhar se fazer isso, este diário partilhado para amigos deixa de ser real, porque assim não desabafo tudo o que tinha para desabafar, e com eles tão grandes ainda deixo tanta coisa para dizer imagino se os diminuísse, mas ainda estou a pensar em estratégias, como dizer as coisas por tópicos, ou muito resumidas, mas como o Português não e o meu forte, os resumos muito menos.
Hoje não fui á escola, continuo doente, e hoje dá me a parecer que piorei. E sinceramente não estou feliz por estar em casa, neste momento estaria a delirar a ter uma aula de Inglês, enquanto estou aqui a fazer nada, pois, parece que me tornei viciada na escola, o que não é tão bonito como parece, onde esta a Daniela preguiçosa de antes? De facto continuou aqui, só mudou em aspecto de querer estar dentro da sala de aula, geralmente só me dá preguiça nas aulas de TIC onde o coitado do "MIGUEL" acaba por ter mais trabalho. E o pior, o pior e que está a chover! Está um lindo dia lá fora e eu com uma constipação pegada com amigdalite aqui dentro, enfim. Terei de me limitar a ouvir as gotas de chuva a baterem na minha persiana. Tenho muita mais coisas para desabafar, mas é demasiado privado para dizer, vou tentar não falar mais do Ricardo neste blog, mas pronto, ontem magoei me a mim própria. Mais uma vez o meu corpo pagou por futilidades da minha cabeça.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

06 de Outubro de 2008

Comi o pequeno almoço meio á pressa, de facto novamente não comi, pós cereais na tigela, pus o meu habitual leite fresco, e acabei por só beber o leite e não comer nada, tem se repetido varias vezes, o meu apetite tem diminuindo, só o meu "grande" corpo e que continua nas mesmas dimensões, é lógico visto que, não comer faz mal, não comer engorda, mas não comer faz me sentir bem comigo própria. Fui para a escola, primeiro tive design, seguindo o teste de multimédia, não posso dizer que me correu ás maravilhas, fui para casa, desejosa de um almoço, minha mãe deitada no sofá a dormir, e eu, com o pouco tempo de almoço visto que tenho 90 minutos, 40 para ida e vida de autocarro, e tiramos 10 minutos de espera do autocarro e 10 minutos que tenho de ir mais cedo para a escola para comer, portanto estão a ver o tempo que me resta, fiz uma mini omelete, nem com pão comi, foi apenas a omelete, ir lavar os dentes, o meu avo tocar á campainha, dar-lhe um beijinho, despedir-me dos meus pais, e ir a correr, já 3 minutos atrasados para a paragem, ia morrendo sem ar. Há tarde seguiu-se matemática, a professora estava com muito mau humor, porque a maioria das pessoas não estavam a tomar atenção á aula, e eu acho que já vou pedir ajuda nisto á minha irma, e a física também. Não quero tirar mesmo nenhuma nega, mas confesso que hoje na aula estava super desconcentrada. Seguindo a aula do meu professor de TIC, comentar sobre a aula? Digamos que não vale a pena. Estava a combinar com o moço para sairmos depois das aulas, e ele diz que se calhar vai ter aula, durante o período onde eu não tenho, achei estranho e perguntei lhe de facto como era isso, até porque segunda-feira saiamos sempre depois das aulas, pois ele disse que o professor andava a faltar e que provavelmente ia ter aula, fiquei desanimada mas continuei a falar com ele, não fosse não ter aula, mas o facto e que ele não teve mesmo, e foi se embora da escola, sem me avisar antes, estando eu na escola a tentar vê-lo para pelo menos se não fosse sair com ele dar lhe um beijo. Pois o rapaz tinha de fazer umas "coisinhas" e foi com os amigos, enfim não posso dizer que fiquei feliz, mas sem comentários. Fui para a paragem, com uma dor estranha no nariz, ardia me para dentro, sentia como se fosse me jorrar em sangue em qualquer momento, isso não aconteceu, mas quando cheguei a casa estava carregada de febre, fui me deitar, estava a ter um ataque de frio, nem tirei a roupa, pus as minhas meias de la por cima das normais, e deitei me debaixo dos lençóis e endrodons, e ai dormi uma meia hora, no máximo uma hora, porque o moço estava a comunicar comigo. Acordei, levantei me bem devagarinho, e ia cair para o lado, carregada de tonturas, lá fui eu agarrar no peixe, penso que era uma ourada, e pus no grelhador para o meu pai, o fumo do peixe, o cheiro do peixe, senti quase que ia morrer com falta de ar, pedi a ele para ir tratar daquilo, visto que não estava em condições, tive de descascar tomates, porque não ha alface, ou seja, eu sou extremamente alérgica a tomate, principalmente no contacto do liquido do tomate com a pele, ou seja mãos a arder, grrr. E fiz o jantar para o meu pai, e a pasta com comida para o meu pai levar para o trabalho, e ainda um cafezito, porque o senhor Gil pediu, agora lá está ele relaxado na cama, a ver um jogo de futebol, como quase todos os rapazes e homens que conheço, enfim. Daqui a pouco, vou me deitar de novo, ou tomar banho que agua a ferver para baixar a febre.
sinto-me tão confusa em relação ao Carlos, depois de tanto tempo sem contacto, e quase como se tivesse deixado de ser o meu melhor amigo. Receio nunca mais o ver, mas pelo menos ele ficou com uma recordação minha, o meu laço que ficou de me devolver da próxima vez que nos víssemos, o que não aconteceu. Afastamos-nos de mais. Depois de tanto tempo, sinto como se fossemos meros desconhecidos. Isso entristecesse-me


sábado, 4 de outubro de 2008

04 de Outubro de 2008

Bem, acho que vou limitar a deixar de escrever sobre o Ricardo, não sei porque não me parece assim tão correcto faze-lo. Enfim, as vezes sinto-me que estou a exibir a relação que não tenho com ele neste blog/diário, e como este diário e partilhado e não sou apenas eu que o leio, porque isto e uma espécie de desabafo onde peço opiniões as pessoas, quer dizer não peço mas espero que elas dêem as suas opiniões. Enfim, hoje também houve acontecimentos, digamos mas não vou falar sobre isso, pelo menos hoje. Bem hoje não sai de casa, se quisesse tinha ido ao Seixal ter com o pessoal para todos vermos um filme na casa do Cláudio, mas digamos que não me apeteceu sair de casa, propriamente só me apetecia sair mesmo para estar com ele, mas pelos vistos isso não aconteceu, doí me a cabeça de uma maneira descomunal, não sei se foi de estar deitada o dia todo, se e do perfume que a minha mãe colocou. E existe um facto tão estúpido, EU TENHO AMIGOS MARAVILHOSOS! Contudo não consigo deixar de me sentir sozinha. Tenho tanta presença de tanta gente, tanta gente a querer me alegrar, e igual eu fico, igual eu me sinto, gostava que as coisas fossem como o ano passado, o engraçado e que o único que ultimamente me alivia é os abraços que o Gonçalo me da no recreio, incrível que me aliviam tanto emocionalmente, as vezes apetece-me abraçar todos os meus amigos, e as vezes quando são rapazes, tenho medo de faze-lo, com medo que eles interpretem mal, ou as pessoas por fora interpretem mal, alem de ultimamente não ter abraçado as minhas amigas, a ultima pessoa que me abraçou de facto foi a Pim. Mas pronto com o Gonçalo e diferente, fico reconfortada psicologicamente, tenho tantas saudades das coisas como eram no ano passado, podia não ser tão boa aluna como me tornei, mas sentia uma união super forte com os meus amigos, mesmo não estando sempre com eles, posso dizer que sinto falta desses antigos tempos. Ainda apouco achei piada a indignação do meu pai, por esta ser a segunda semana em que a minha mãe vai jantar fora com os amigos do trabalho dela. Acho piada porque sempre pensei que o meu pai traísse a minha mãe, e agora ele parece estar com ciumes, engraçada a situação. Esta dor de cabeça não me passa, melhor ir comer.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

03 de Outubro de 2008


A vela que me aquecia já derreteu, agora limito me a acender fósforos na esperança de receber algum calor. Sinto falta dos dias onde o teu calor corporal estava sempre presente, aqueles dias, que não tinha de insistir para obter a tua companhia. Naqueles dias em que eu e tu, e no meio de nos apenas se presenciava um dos lindos bancos de madeira da praceta, ou até mesmo blocos de pedra junto há maré. Sentia que te preocupavas comigo, sempre que me sentia mais fraca íamos ao hipermercado mais perto, comprar um lanche, e ai lanchávamos juntos. Depois quando a noite começava a aparecer, tu, levavas-me para a paragem, sentávamos-nos e repartíamos carinhos, com palavras maravilhosas, eu sempre tive a esperança, de ter um avanço nesta relação inexistente, aguardava dia a dia, para me que pedisses em namoro, em que decidisses que estavas pronto para começar algo novo, ao inicio sempre pensei que só iria acontecer quando ultrapassasse toda a fase do passado, mas de facto, apaixonei-me demasiado rápido por ti, e esse foi o meu problema, as vezes questiono-me se estarei obcecada, um facto e que a tua presença e muito importante para mim. Quando a escola começou, foi uma espécie de choque para mim, tudo mudou, tudo começou a desaparecer, começas-te a abdicar de mim, para outras coisas, parece que nunca és capaz de abdicar ou pouco dos teus amigos para estar comigo. No ano passado era diferente, caminhavas comigo, voltas sem sentido a falar comigo e a comer chocolate, sim no ano passado algumas vezes abdicavas deles por mim, e isso, nunca aconteceu, nunca mais. Sinto a tua atenção a fragmentos de segundo de facto, e por vezes nem reparas na minha presença, engraçado o quanto começo-me a sentir ignorada por esses momentos. Agora já sei, que para estar contigo, a única solução é estar com os teus amigos, pessoas de quem considero amigos, grandes amigos, mas não em grupo, nunca fui boa a integrar-me em grupos, eu sou e sempre fui uma pessoa muito individual, talvez por ser uma rapariga, ou então simplesmente porque para mim isso nunca existiu. Muitas vezes sinto me frustrada, ao tentar integrar-me no teu grupo, sinto-me inútil, e talvez um pouco inculpa, por nunca me interessar ou entrar em conversas de temas que desconheço, seguindo de risinhos de gozo na brincadeira por não reconhecer esse tipo de coisas. A culpa e minha e de toda a minha personalidade, de facto não sou uma pessoa assim tão divertida como se calhar gostarias que eu fosse. As vezes encontro tantos defeitos em mim, e tantas coisas que fazem parte da minha personalidade que não te agradam, o tipo de brincadeiras que sonhava ter contigo, tens com outra pessoa, e pensas que esse tipo de brincadeira não e do meu agrado. Mas estavas redondamente enganado quando mencionaste isso, o tipo de brincadeiras que odeio, é mesmo as que incluem gozar comigo, ou apenas fazer me de parva, irritar-me, será que ainda ninguem entendeu que eu tenho sistema nervoso acelerado e não devo, nem posso me irritar por causa do meu coração? As pessoas de facto não pensam nisso na altura, podem ate nunca vir a pensar nesse aspecto, tenho tentado me manter calma em todas as situações para não me prejudicar, nem ao coração, nem psicologicamente. Incrível, como sou e me sinto frágil.Gostaria que a nossa relação que não existe melhorasse, e farta de me sentir culpada, por gerar tantas discuçoes pelas minhas opnioes e pelas coisas que me desagradam, coisas que tens feito, e como já te disse e decidi, vou imitar-me a estar calada, sofrer comigo mesma, sem me manifestar, ou expor alguma opinião que te poça perturbar ou chatear. Talvez um dia me vejas com outros olhos, e talvez alguma coisa ai mude, ou então não, apenas não te posso jurar que estarei aqui para sempre. Eu já me sinto tão mal com a minha vida, que uma futura tentativa de tentar acertar as coisas falhadas, não me ira fazer mal. Acabo por ser um ser dramático, e acho que pronto, já aprendi comigo própria, como tenho de agir em relação a mim em todas as situaçoes. Sou assim, não devo mudar.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

02 de Outubro de 2008


Já começo a sentir o frio, o frio que gela o meu corpo, o Outono já chegou, e o Inverno começa se a aproximar, roupas mais quentinhas, mais agasalhos, e novas roupas para comprar.
Com os pelos arrepiados, constantemente aproximo me da vela presente na minha secretaria e tento aquecer as mãos, com uma pequena chama, pequena chama que me aquece.
Desejo que os dias de chuva regressem, dias de chuva para alegrar ainda mais os meus dias, é tão relaxante ver a chuva a cair, ouvir o seu ruído, enquanto olho pela janela do autocarro, as gotas escorrem, o céu está cinza, e de certo modo, faz contraste com o azul esverdeado da maré, e a agua com uma pequena agitação move os pequenos e grandes barcos antigos que permanecem na maré anos após anos e tudo me parece perfeito, toda a combinação de cores, com o ambiente, tão belo que fica as lindas cores com as cores neutras do próprio ambiente. Com o frio lá fora, e a caminha tão quentinha, mais dificilmente conseguimos sair de lá, o quente dos nossos proprios corpos, com o calor dos lenções, cobertores e endredons, por vezes, apenas apetece-me estár deitada, e sonhar apenas mais um pouco, sonhos em grande, numa cama calorosa. Os meus maiores desejos, passaram a ser, um chocolate forte bem quente, para me aquecer do frio, e esse quente que me aquece por dentro e tão reconfortante, começa a chegar-me ao cerebro de uma forma orgasmica, e acabo por esquecer tudo, tudo o que me rodeia e por fim começo-me a sentir minimamente feliz, por coisas minimalistas, para o mês decerto que voltará duas semanas de depressão, e ai tudo terá que recomeçar denovo, uma nova fase todos os meses da minha vida, durante duas semanas torno me outra pessoa, alguem estremamente infeliz, e sinceramente?

Pela primeira vez na vida, aptece-me que chegue o natal, na minha cabeça consigo imaginar cores vermelhas por todo o lado, e o branco de neve artificial a cobrir uma enorme arvore de Natal, incrivel. Estou com vontade de nas ferias do Natal ir a lisboa, tenho a sensação que o ambiente é magico. Daqui a dois meses chegará Dezembro e da maneira instavel como estou, receio a tristeza, a depressão, as lembranças, e desejo a felicidade o conforto e todas as cores quentes que o Natal contem. Incrivel que já vai fazer 10 anos, este ano, que partis-te.



Ando feliz, mas ainda existem poucas coisas não importantes que pertubam a minha cabeça, des da Joana ainda permanecer no primeiro lugar do top do moço, e eu permanecer no fim da primeira linha, sim eu sei que ela é fixe, mas com aquele tipo de comentarios, e o primeiro lugar no top, por vezes deixa-me tão, tão insegura. Enfim, parvoisse.
Tive um 19 a Matematica, incrivel não é? Obrigado Luís

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

01 de Outubro de 2008


Hoje o dia foi perfeito, depois de uma discussão enorme de manha, e eu a chorar, e ele chateado a sentir se culpado sentado. As coisas mudaram o pouco de sentido. Hoje greve dos transportes e greve dos funcionários, maravilha, num mau sentido, tive apenas uma aula, PORREIRO! agora tenho de repor duas aulas, uma de AI outra de Designe, e o pior é que pronto, terei de abdicar do meu tempo livre para ter de o fazer, ainda so não sei quando isso ocorrerá, enfim! Pelo que soube a minha escola fechou, so havia um pavilhão aberto, e o maravilhoso e que so havia autocarro até as nove da manha, advinhem? Cheguei agora a casa. Estava com um pequeno almoço mal tomado, porque mal toquei nos cereais e pumba bebi praticamente so o leite, já a chegar a hora do almoço tipo zoombie, eu e o Ricardo a pensar no que fazer para eu puder ir para casa, cheguei a ir ao limite, e pedir o favor ao André perguntando se ele não me puderia levar a casa, e para o meu azar, ele estava em Sesimbra, acabei por dizer ao Ricardo para deixar para lá que arranjava forma de comer, nem que pedisse a um dos meus colegas o favor. Ele não gostou e acabou por me levar para casa, com o pai dele lá e tudo, enfim, acabei por falar ao homemzito, dizendo bom dia seguindo de um bom dia, e por ai ficou, a mãe dele acabou por me dar almoço, estava fantástico. Fiquei lá a tarde toda, sinceramente adorei. FOI PERFEITO :]
Penso que a minha mãe ira chegar fula a casa, e ira me mandar um raspanete, mas enfim,
acabei por pedir a minha irma, para me vir buscar quando saísse do trabalho.
Amanhã chega o meu telemóvel novo :], e amanhã dia todo na escola, demanhazinha, quase até a noite. Enfim :]